Carros usados

 

O que deverá saber antes de adquirir um automóvel usado

Adquirir um carro usado pode por vezes tornar-se uma tarefa complexa e ao mesmo tempo inglória, especialmente se não estiver munido de informação credível e fiável para aplicar na altura de analisar um veículo usado e todas as suas características técnicas e estéticas. 

A compra de um carro novo já não obriga a estes cuidados especiais. Basta escolher a marca avaliando, entre outros, o custo, a fiabilidade, a assistência técnica e, também o seu gosto pessoal. É nos usados que as cautelas devem ser redobradas, sobretudo se comprar a um particular.

Embora comprar usado signifique gastar menos dinheiro, a verdade é que por vezes poderá fazer um mau negócio simplesmente por falta de conhecimento de causa. Foi a pensar nisso que desenhámos para si algumas dicas importantes para reter antes de adquiri um carro usado:

1- Existe algum valor estipulado para a aquisição de automóveis usados?
Os preços dos automóveis usados nunca são fixos ou dependentes de qualquer factor ou métrica, a não ser o ciclo de mercado, os anos, os kilometros e o estado da viatura. Esses sim, são dados que influenciam o preço de venda de um veículo. 
Aconselhamos que analise o preço de venda dos modelos novos, nas suas diversas gamas e opções, e utilize esses mesmos preços como factor de comparação na altura de verificar um carro usado.

2- A manutenção de um automóvel usado é idêntica há de um automóvel novo?
A manutenção de um veículo usado é teoricamente tão dispensiosa como a de um veículo novo. No entanto, ao adquirir um veículo usado presupõe-se que esse mesmo veículo está mais rodado e desgastado, e que como tal necessitará de uma manutenção mais regular ou então a utilização de peças novas aquando da sua aquisição. 
Informe-se junto do vendedor sobre o número de manutenções que o automóvel já teve, quais os seus valores, e qual o estado actual das peças e da mecânica do automóvel. Evite adquirir um veículo por um preço relativamente baixo, mas que depois exija uma grande manutenção de um gasto enorme em termos financeiros.

3- Atenção à garantia!
Nos carros novos, a garantia mínima é de dois anos após a compra. Durante aquele período, qualquer defeito que não resulte da má utilização ou de um desgaste natural das peças, como o piso dos pneus, tem de ser corrigido pelo stand, sem custos para o cliente.

Nos carros usados, e a menos que o negócio seja entre particulares, a garantia também é de dois anos. Se quiserem vender-lhe uma garantia durante aquele período, não aceite, já que o stand é responsável por qualquer avaria. A garantia de dois anos pode, no entanto, ser reduzida para um ano se o stand e o consumidor assim acordarem. Só é aconselhável se ganhar algo em troca, como um bom desconto no preço.

4- Que automóvel usado deverei adquirir?
A escolha de um automóvel usado é feita geralmente da mesma forma que para um automóvel novo. Tudo depende do segmento, do preço e dos extras de que pretende usufruir. Analise bem o mercado de automóveis novos, bem como os seus preços, e depois procure por veículos semelhantes em mercados de segunda-mão. Dependendo dos preços e opções, acabará por encontrar aquilo que tanto deseja.

5- Deverei pagar o automóvel usado em dinheiro, ou através de crédito?
Dependendo do montante em causa, poderá compensar mais a aquisição de um veículo usado por intermédio de um pagamento a pronto em dinheiro, ao invés de recorrer ao crédito bancário. Se o valor do carro não for considerável, um empréstimo bancário poderá ser um mau negócio para si e para a sua família. Informe-se das condições que o seu banco lhe oferece, e analise os dados antes de tomar uma decisão. Deverá avaliar as várias opções para aquisição, tal como ALD, Leasing ou Renting.

6- Que informação e conhecimento deverei ter, antes de adquirir um automóvel usado?
Este artigo é um bom exemplo do tipo de informação que deverá ler antes de avançar para a negociação de um automóvel usado. Procure também informar-se um pouco mais na internet, comprar algumas revistas e/ou jornais da especialidade, e quiçá questionar alguns dos seus amigos e parentes acerca das opções que tem entre mãos. Procure também na Internet. Existem vários sites com centenas de carros usados disponíveis. Estes permitem também facilmente usar as opções de procura, especificando por ex a marca ou o preço que pretende dispender. O artigo procurar carros usados na Internet ajuda-lo-a neste processo.

7-  Quanto tempo irei demorar a encontrar o veículo que procuro?
O encontrar ou não o veículo que tanto deseja, está directamente relacionado com a oferta disponível no momento da procura. Embora hoje em dia o mercado de automóveis usados seja extremamente vasto, existe sempre a probabilidade de não encontrar aquilo que deseja na altura certo ou numa zona próxima da sua. Esse tipo de situações ocorre mais frequentemente a pessoas que procuram veículos muito recentes no mercado de automóveis usados. Por vezes consegue-seencontrar carros com poucos meses de mercado, provenientes da venda de carros de serviço ou de creditos que não foram pagos. 

8- Corrida a vários stands
Comece por negociar o preço em mais do que um stand da mesma marca. Como os vendedores de automóveis trabalham à comissão e ganham em função do número de carros vendidos, não esconda que pretende sondar o preço em vários locais. Isso motivá-los-á a reduzir a sua margem, para dar um desconto maior. Em alternativa, negoceie equipamento suplementar (GPS, tecto de abrir, jantes de liga leve, etc) ou a troca por um carro antigo, se tiver algum do qual queira desfazer-se. 

9- Sinal elevado e prazo reduzido
Se der uma entrada como sinal, reduz o valor do financiamento, os juros a pagar e o custo final do carro. Quanto mais reduzido for o prazo, menos juros paga. Para prazos curtos, pode mesmo beneficiar de taxas promocionais. No entanto, a prestação e a taxa de esforço são mais elevadas. Evite os períodos de carência e o diferimento de capital: reduzem a prestação mensal, mas encarecem o empréstimo. 

10- TAEG para comparar propostas
A taxa de juro e as comissões são, regra geral, negociáveis. Faça valer os produtos que contratou no banco. No stande, negoceie o preço, mas também o financiamento comercializado pelo intermediário. Peça simulações em mais de uma instituição para o montante a pedir e apresente-as à concorrência. 

A taxa anual de encargos efectiva global permite comparar várias propostas, pois reflecte o custo total do crédito. Engloba, além da taxa de juro, as comissões, imposto de selo e seguros obrigatórios do financiamento. A comparação deve basear-se em parâmetros idênticos: mesmo valor, duração do empréstimo, sinal, etc. Quanto mais baixa a TAEG, mais barato o empréstimo.

%d bloggers like this: